Dinis Sousa

Dinis Sousa vive actualmente em Londres e é fundador e director artístico da Orquestra XXI- projecto vencedor do prémio FAZ-IOP 2013, que reúne músicos portugueses residentes no estrangeiro-, com a qual se apresenta regularmente em Portugal. A orquestra tem aparecido nas temporadas da Fundação Calouste Gulbenkian, Casa da Música e Centro Cultural de Belém, recolhendo grandes elogios da crítica especializada.

Nas últimas temporadas, Dinis Sousa tem dirigido orquestras como a Southbank Sinfonia, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Filarmonia das Beiras, Aurora Orchestra e Orquestra Sinfónica de Londres, que recentemente o convidou para substituir o maestro Daniel Harding em ensaio. Com a Orquestra XXI, fez a abertura da Temporada Gulbenkian Música e aparece regularmente no festival “Dias da Música em Belém”, em concertos filmado para a RTP. 

Tem trabalhado com o maestro Sir John Eliot Gardiner, enquanto seu assistente em projectos com a Orquestra Sinfónica de Londres, a Orquestra Filarmónica de Berlim, a Tonhalle-Orchester e com o Monteverdi Choir e Orchestre Révolutionnaire et Romantique. Dirigiu o Monteverdi Choir nos BBC Proms numa apresentação da sinfonia coral “Rómeo et Juliette” de Berlioz, onde o coro se apresentava separado da orquestra, dirigida por Gardiner. O concerto foi transmitido pela televisão e rádio da BBC e aclamado pela crítica britânica. Recentemente, foi também assistente em Glyndebourne, onde colaborou na produção de “O Barbeiro de Sevilha”.

Dinis estudou na Guildhall School of Music and Drama, onde exerceu a Fellowship em Direcção de Orquestra. Durante esse período, dirigiu vários agrupamentos, tendo preparado a Guildhall Symphony Orchestra para o maestro Bernard Haitink, dirigido a Paixão Segundo S. João, de Bach, no Milton Court Concert Hall e uma encenação de “Down by the Greenwood Side” de Birtwistle no Silk Street Theatre. Na mesma escola, concluiu a licenciatura e mestrado com distinção, estudando direcção de orquestra com Sian Edwards e Timothy Redmond e piano com Philip Jenkins e Martin Roscoe. Paralelamente, trabalhou em masterclasses com professores como Yekaterina Lebedeva, Sequeira Costa, Angela Hewitt, Ralf Gothóni, Richard Egarr, Jean-Sébastien Béreau, entre outros.

A 10 de Junho de 2015, foi condecorado pelo Presidente da República, Dr. Aníbal Cavaco Silva, com o grau de Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique.