Dinis Sousa

Dinis Sousa vive actualmente em Londres e é fundador e director artístico da Orquestra XXI- projecto vencedor do prémio FAZ-IOP 2013, que reúne músicos portugueses residentes no estrangeiro-, com a qual se apresenta regularmente em Portugal. A orquestra tem aparecido nas temporadas da Fundação Calouste Gulbenkian, Casa da Música e Centro Cultural de Belém, recolhendo grandes elogios da crítica especializada.

Esta temporada, Dinis Sousa dirige a Southbank Sinfonia, Orquestra Clássica da Madeira, e a Orquestra Sinfónica Portuguesa, no Festival ao Largo 2016 com um programa inspirado em Shakespeare, com obras de Tchaikovsky, Gounod e Prokofiev. Com a Orquestra XXI, fez a abertura da Temporada Gulbenkian Música e aparece no festival “Dias da Música em Belém”, num concerto filmado para a RTP.

Tem trabalhado com o maestro Sir John Eliot Gardiner, enquanto seu assistente em projectos com a Orquestra Sinfónica de Londres, onde já teve a oportunidade de dirigir a orquestra, com a Orquestra Filarmónica de Berlim e com o Monteverdi Choir e Orchestre Révolutionnaire et Romantique. Este verão, dirigiu o Monteverdi Choir nos BBC Proms numa apresentação da sinfonia coral “Rómeo et Juliette” de Berlioz, onde o coro se apresentava separado da orquestra, dirigida por Gardiner. O concerto foi transmitido pela televisão e rádio da BBC e aclamado pela crítica britânica: “As selectas vozes do Monteverdi Choir fizeram a sua parte à frente do palco, dirigidos por Dinis Sousa, de uma forma tão distinta como todas as outras componentes nesta incrível peça híbrida.” (in The Arts Desk)

Dinis estudou na Guildhall School of Music and Drama, onde exerceu a Fellowship em Direcção de Orquestra. Durante esse período, dirigiu vários agrupamentos, tendo preparado a Guildhall Symphony Orchestra para o maestro Bernard Haitink, dirigido a Paixão Segundo S. João, de Bach, no Milton Court Concert Hall e uma encenação de “Down by the Greenwood Side” de Birtwistle no Silk Street Theatre. Na mesma escola, concluiu a licenciatura e mestrado com distinção, estudando direcção de orquestra com Sian Edwards e Timothy Redmond e piano com Philip Jenkins e Martin Roscoe. Paralelamente, trabalhou em masterclasses com professores como Sequeira Costa, Angela Hewitt, Ralf Gothóni, Richard Egarr, Jean-Sébastien Béreau, entre outros.

A 10 de Junho de 2015, foi condecorado pelo Presidente da República, Dr. Aníbal Cavaco Silva, com o grau de Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique.