Adriana Ferriera

Flauta | Roterdão

A flautista Adriana Ferreira (Cabeceiras de Basto, 1990) é solista da Orquestra Nacional de França desde 2012. Obteve o 1º Prémio, o Prémio da Orquestra e o Prémio do Jovem Júri no Concurso Internacional de Flauta Carl Nielsen (Dinamarca); o 2º Prémio ex-aequo (1º não atribuído) e o Prémio Coup de Coeur Breguet no Concurso Internacional de Música de Genebra (Suíça); o 1º Prémio no Concurso Internacional de Flauta Severino Gazzelloni (Itália), o 3º Prémio no Concurso Internacional de Flauta de Kobe (Japão), o 1º Prémio no Concurso Internacional do Jovem Flautista (França), bem como o 1º Prémio e o Prémio do Público no Concurso de Interpretação do Estoril | Prémio El Corte Inglès, entre outros. A cabeça da flauta com a qual se apresenta foi-lhe atribuída por Sir James Galway, Lady Jeanne Galway e Jörg Rainer Lafin em 2014.

Apresentou-se a solo com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica de Odense, Orquestra de Câmara do Kremlin e Orquestra de Câmara de Genebra, entre outras. Em 2011 gravou o seu primeiro CD – Danse des Sylphes, com a pianista Isolda Crespi (Numérica); com quem recentemente gravou um CD para a colecção Falaut em Itália. Em 2013 gravou o Concerto para três flautas e orquestra de Thierry Pécou, com a Orquestra Nacional de França. Foi solista em diversas Convenções de flauta (Sevilha, Paris, Manchester, Charlotte) e festivais internacionais de música, sendo regularmente convidada como flautista residente dos Festivais de Giverny (França) e Kuhmo (Finlândia). Estreou obras de vários compositores, como o Concerto para Flauta e Orquestra, de Joaquim dos Santos, e “[p][k][t]” para Flautim e Electrónica, de Diana Soh, a si dedicadas. Foi convidada a colaborar como 1º flauta com a Orquestra da Ópera de Lorraine, Orquestra Filarmónica de Bergen da Noruega e Orquestra Sinfónica da Rádio Finlandesa; tendo colaborado igualmente com a Orquestra de Paris e a Orquestra da Ópera Nacional de Paris. Integra regularmente a Orquestra XXI, que reúne músicos portugueses residentes no estrangeiro.
Adriana Ferreira obteve um Prémio de Mérito do Ministério da Educação e o Prémio Dra Manuela Carvalho pelos seus estudos na Escola Profissional Artística do Vale do Ave (Artave), na classe de flauta de Joaquina Mota. Ex-bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, concluiu o Mestrado no Conservatório Nacional Superior de Música (CNSM) de Paris na classe de Sophie Cherrier, tendo ainda estudado durante um ano na Escola Superior de Música Hanns Eisler de Berlim (Erasmus), na classe de Benoît Fromanger. Terminou recentemente o 3º ciclo superior (Diploma de Artista Intérprete de Música Contemporânea) no CNSM de Paris. Paralelamente, é licenciada em Musicologia pela Universidade Paris-Sorbonne.